Logo

Dicas para Pesquisar em São Paulo


Aqui passamos um pequeno roteiro de como pesquisar e por onde começar sua busca em São Paulo.

Bem, em primeiro lugar, caso a genealogia seja uma novidade para você, sugerimos insistentemente que leia o Manualzinho de Genealogia BrazilGenWeb, e em seguida as Páginas de Recursos. Desta forma você estará bem familiarizado com os procedimentos comuns de pesquisa.

Depois de ter revirado a memória de seus parentes mais velhos, em busca de datas e locais de nascimento, existem alguns locais que você deve visitar para completar as informações:

1. Cartórios: Quase todos os cartórios foram criados após 1889, devido à Proclamação da República e subseqüente separação da igreja e do estado. Muitas vezes os registros mais antigos dos cartórios não trazem informações detalhadas mas vale a pena conferir. Aqui você vai encontrar os endereços de todos os cartórios do país.

2. Cemitérios: Os cemitérios começaram a ser criados após 1820 e quase nenhum é anterior a 1850. Antes desta data os católicos eram enterrados dentro das igrejas. Visitando os cemitérios você pode descobrir o nome de algum ancestral mais antigo e datas. Pode também encontrar outros parentes a por meio deles descobrir mais informações sobre seus ancestrais.

3. Registros de Imigração: Caso seu ancestral seja um imigrante, o Memorial do Imigrante de São Paulo fornece or registros de 1882 a 1978. Antes desta data o registro de imigrantes era feito principalmente no Rio. Estes podem ser encontrados no Arquivo Nacional.

4. Arquivos Eclesiásticos: Caso seu ancestral não seja um imigrante e saja católico você está com sorte. A Igreja era responsável pelo registro civil antes da existência dos cartórios. Nos Arquivos Diocesanos de São Paulo você encontrará os registros de batismo, casamento e óbito de seu ancestrais, além de muitos outros documentos. O estado de conservação destes registros é variável, no entanto eles existem desde épocas bastante remotas, algumas dioceses os têm desde do século XVII. Para esta consulta você precisa saber a qual paróquia pertenciam seus ancestrais. Os registros de casamento sempre informam os nomes dos pais dos noivos, algumas vezes os avós e com sorte até a paróquia de origem da família.

5. Maços de População: É como eram chamados os recenseamentos antigos. Estes foram levantados anualmente, durante muitos anos, desde 1765. Pesquisar os maços de população é importante pois o questionário era abranjente. Incluem nomes e idades de todas as pessoas vivendo na casa. Valor das propriedades, profissões e renda. Informam se alguem era doente, etc. Estes registros estão microfilmados e disponíveis para consulta no Arquivo Público do Estado de São Paulo.

6. Centros de História da Família: Fazem parte da Igreja Mórmom mas qualquer pessoa pode frequentar. Os Mórmons microfilmaram quase todos os registros citados acima, excluídos os cemitérios. Caso você more longe e não tenha como visitar os estabelecimentos anteriormente citados, não deixe de ir ao Centro de História da Família mais próximo. Eles podem encomendar qualquer um dos microfilmes para você por uma pequena taxa. Nada como esquadrinhar os livros pessoalmente. As chances de encontrar registros são muito maiores do que se pedir para outra pessoa procurar.


© 2002 São Paulo GenWeb Project - todos os direitos reservados