Registros de Imigração, Naturalização e Viagens

Para que servem

Registros de imigração e afins, normalmente são encontrados na forma de listas de passageiros de navios, permissões de emigração, registros de emissão de passaportes, e também documentos de naturalização. As informações incluídas nestes documentos podem variar muito, entretanto, você pode esperar encontrar nomes, idades, ocupações, destinos, portos de origem, e ocasionlmente cidades de origem ou de nascimento. Uma das maiores vantagens de encontrar or registros de imigração é a possibilidade de montar um grupo familiar completo para o seu ancestral na data de sua chegada. Outras dicas importantes advém do fato de que usualmente imigrantes vinham acompanhados de parentes (alguns com sobrenomes diferentes), amigos e vizinhos. Algumas vezes, quando chegamos um beco sem saída, pesquisar as pessoas que vieram junto com nossos ancestrais pode levar-nos a descobrir suas origens.

Histórico

Os portugueses começaram a chegar ao Brasil em 1530. Até 1755 Portugal mandou muitos prisioneiros, degredados e indesejáveis para cá, e antes 1808, com a chegada da família real e consequente abertura dos portos, a imigração era limitada a portugueses.

Antes de 1850 dificilmente o número de imigrantes excedia 2.000 por ano. Somente após a aprovação das leis do ventre-livre,em 1871 e lei áurea, em 1888, que forçaram os fazendeiros a procurar outras fontes de mão-de-obra para suas lavouras, que a imigração para o Brasil aumentou. Em 1888 chegaram mais de 130 mil imigrantes. Estima-se que o número total de imigrantes para o Brasil até então era de 750 mil. Cerca de 5 milhões de pessoas imigraram para o Brasil de 1884 a 1963, metade dos quais entre 1889 e 1913. A maioria dirigiu-se para São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, e Rio de Janeiro.

Os principais portos de entrada eram Rio de Janeiro, Santos, e Salvador. Conforme chegavam ao porto do Rio de Janeiro, eram registrados pela Agência Central de Imigração. Eram levados então para a Ilha das Flores e distribuídos pela Casa dos Imigrantes. Os que se destinavam a São Paulo continuavam a viagem até Santos no mesmo barco em que vieram, contudo, após 1854 muitos navios seguiam direto. As autoridades portuárias que registravam e manejavam com os imigrantes eram chamadas de Hospedarias de Imigrantes.

Onde encontrar os registros

Confira nos arquivos regionais do local que você pesquisa se há alguma lista de chegada e assentamento de imigrantes, muitos municípios mantém estas listas em seus arquivos. Em seguida, procure pelas listas de passageiros e registros de imigrantes, geralmente gardados nos arquivos estaduais. Não há muitos registros de imigrantes anteriores a 1808: no Arquivo Nacional existem cerca de 30 gavetas de fichas de imigrantes portugueses até esta época.

Alguns exemplos de registros de imigrantes arquivados são:

  • Arquivo Nacional: Registros originais da Hospedaria de Imigrantes do Rio de Janeiro e a maioria dos registros de naturalização neste estado, anteriores a 1940.

  • Arquivo da Secretaria da Promoção Social no Memorial do Imigrante de São Paulo (link abaixo): Registros originais da Hospedaria de Imigrantes vindos do porto de Santos de 1854 a 1925.

  • Arquivo Público do Estado da Bahia: Registros de imigrantes no porto de Salvador de 1839 a 1854. Também os títulos de residência para estrangeiros e seis volumes de passaportes e guias de 1718 a 1822.

  • Dicas Importantes

  • Cheque os documentos de naturalização para seu ancestral imigrante

  • Lembre-se de que os portos europeus também mantinham registros de movimento de passageiros. Caso não encontre informações de chegada, busque as de saída. A maioria de nossos ancestrais imigrantes veio dos portos de Bremen, Hamburgo, Le Havre, Bordeaux, Marselha, Antuérpia, Rotterdam, Lisboa, Funchal, Cádiz, Nova Orleans, Nápoles, Tokio, e Nova York. As listas de Le Havre, Nova Orleans, e Nova York perderam-se, mas todas as outras ainda existem e já foram microfilmadas pelos centros de história da família.

  • Confira se seu ancestral era registrado no consulado de seu país de origem.
  • Verifique também, caso seu ancestral seja brasileiro, se existe alguma emissão de passaporte.
  • Bibliografia

  • Movimento de passageiros norte-americanos no porto do Rio de Janeiro, 1865–1890 Oliveira, Betty Antunes de, 1982.
  • Registro de estrangeiros e entradas de portugueses do registro de estrangeiros nas capitanias, 1777–1819. Do Arquivo Nacional do Rio.
  • Os franceses residentes no Rio de Janeiro, 1808–1820. Publicado pelo Arquivo Nacional do Rio de Janeiro, 1960.
  • Registro de estrangeiros, 1808–1842. Publicações do Arquivo Nacional do Rio de Janeiro, vols. 46, 49–50, 54.

  • Alguns Links

    Memorial do Imigrante - Mantém os registros e fornece informações sobre entrada de imigrantes em São Paulo.

    Imigrantes Italianos - Muitos links e dicas interessantes para pesquisa de seus ancestrais italianos. Excelente página desenvolvida por Lea Beraldo.

    Imigração Americana para São Paulo - História e listas de famílias.

    Imigração de Bucovinos - para a cidade da Lapa, no Paraná.

    Judaismo - Imigração para o Brasil

    Imigração Alemã e Italiana - Para o RS

    Alemães e Poloneses - Que imigraram para o PR e SC

    Projeto Navios BrazilGenWeb - Listas de passageiros e links


    Home | Novidades | Estados | Projetos | Recursos | Dicas | Lista | Mensagens | Conheça | Colabore | E-mail

    Rootsweb logo

    Última atualização Saturday, 07-Jul-2001 08:25:42 MDT

    © 2001 BrazilGenWeb Project