Registros de Notários

São os registros lavrados e juramentados por um notário. Estão entre os registros mais antigos do país, desde 1549, uma época em que a igreja ainda não efetuava registros e os cartórios não existiam. Constitúem-se em fonte primária de informações sobre a antiga vida privada brasileira.

Estas notas inclúem todos os tipos de documentos legais privados tais como testamentos, transações de propriedades, compra e venda de escravos, procurações, contratos, fianças, hipotecas, empréstimos, etc. As anotações eram feitas cronologicamente nos livros dos notários. Estes livros estão indexados sob seus nomes e regiões nos arquivos públicos.

Pesquisar estes registros é uma das tarefas mais árduas a que alguém pode lançar-se já que não há índices e muito tempo é necessário para destrinchar centenas de páginas de complicada caligrafia, uma por uma, em numerosos volumes. Por outro lado valiosas informações podem ser descobertas, conduzindo-o a gerações muito antigas. Estes registros estão espalhados pelos arquivos governamentais em todo o país, verifique o que existe para a região em que pesquisa. Quem sabe o arquivo de sua região já indexou os livros...

Registros da Corte

Registros de processos civís e criminais também existem desde os primeiros dias do Brasil-Colônia e geralmente estão nos arquivos públicos, muitas vezes com índices parciais. Contém disputas, depoimentos, acusações, julgamentos, contratos, títulos de propriedade, testamentos, inventários, registros batismais, de órfãos e adoções, separações e divisões de propriedade, correspondência a respeito dos casos, etc. Através deles descobrem-se excelentes informações genealógicas: nomes, residências, ocupações, idades, relacionamentos, locais de nascimento, vereditos e fatos interessantes sobre as vidas de pessoas. Vale notar também que os arquivos geralmente possuem os registros de prisioneiros de casas de detenção.


Inventários e Testamentos

Informações encontradas em inventários e testamentos podem ser: data da morte, herdeiros e seus guardiães, relacionamentos, endereços, relações de parentesco, amigos, listas de propriedades e testemunhas, bastante úteis para identificar os membros da família e dar dicas onde procurar em seguida.

Normalmente lavrados por notários, podiam ser anotados também por autoridades eclesiásticas, caso em que estão nos arquivos das cúrias e dioceses e, ocasionalmente, paróquias. Os arquivos municipais possuem grande quantidade destes registros. Testamentos também eram válidos se escritos pessoalmente pelos indivíduos e muitos encontram-se em coleções particulares, bibliotecas públicas e museus.

O Arquivo Nacional do Rio tem uma gigantesco acervo de testamentos e inventários. A coleção do Arquivo de São Paulo cobre de 1578 a 1800 em mais de 2 mil volumes e uma reprodução parcial destes inventários e testamentos de 1633 a 1651 foi publicada no volume 41 de 1966.


Taxas e Impostos

Os Arquivos municipais e estaduais mantém copias de listas de recolhimentos de taxas e impostos de diversos tipos, alguns bem antigos. Verifique quais existem em sua área. Eles podem conter nomes, endereços, datas e valores de propriedades e pagamentos, alem de nomes de esposas e filhos, e algumas vezes raças.


Recursos Eleitorais

Os Arquivos possuem estes tipos de documento. Nos Arquivos Estaduais de São Paulo, por exemplo, encontram-se documentos das Juntas Municipais de Qualificação de Votantes, Juntas Revisoras, Mesas Paroquiais e Intendências Municipais. Este segmento é composto de atas, listas de votantes, ofícios, pareceres, processos e recursos eleitorais provenientes de várias localidades de São Paulo de 1847 a 1947. Deve-se lembrar que poucas pessoas eram os votantes pois para isto era necessária comprovação de renda e mulheres não votavam.

Home | Novidades | Estados | Projetos | Recursos | Dicas | Lista | Mensagens | Conheça | Colabore | E-mail

Rootsweb logo

Última atualização Friday, 29-Jun-2001 13:12:06 MDT

© 2001 BrazilGenWeb Project